terça-feira, 10 de maio de 2011

Confrontos entre muçulmanos e cristãos no Egito deixam dez mortos!


Dez pessoas morreram e 144 ficaram feridas - várias delas em estado grave - em um confronto armado registrado na noite de sábado (7) entre cristãos coptas e muçulmanos no bairro de Imbaba, subúrbio do Cairo, capital do Egito.

Segundo a agência estatal “Mena”, médicos disseram que o número de mortos subiu depois que três pessoas em estado grave morreram após serem levadas a hospitais.

O incidente aconteceu quando grupos muçulmanos atacaram a igreja de Mar Mina, por acreditarem que os cristãos mantinham presa ali uma mulher que tinha se convertido ao Islã para se casar com um jovem dessa fé.

Em entrevista à televisão, o governador da província de Giza, que inclui setores da Grande Cairo e onde está localizdo o bairro de Imbaba, Ali Abdel Rahman, disse que o Exército e a polícia tinham conseguido acalmar a região dos confrontos.

Os muçulmanos agressores pertencem à corrente dos salafistas, uma das mais rigorosas do Islã e que a cada dia está ganhando mais terreno no Egito.

Os cristãos egípcios, majoritariamente coptas, representam cerca de 10% da população do país.

Periodicamente há incidentes armados entre cristãos e muçulmanos no Egito por razões religiosas, especialmente no sul do país.

O Exército do Egito, que interinamente governa o país após a queda do ditador Hosni Mubarak, disse que 190 pessoas iriam ser julgadas por um tribunal militar após os confrontos.





Depois dos ataques de que foram alvo, no passado fim-de-semana, centenas de cristãos coptas manifestaram-se ontem, segunda-feira, na praça Tahrir, no Cairo.

A revolta destes cristãos é uma consequência dos ataques desferidos por grupos de muçulmanos salafistas a duas igrejas coptas, de que resultaram 12 mortos e cerca de 180 feridos.

Os protestos, que inicialmente tiveram lugar junto às instalações da televisão estatal, acabaram por ser visar, posteriormente o Exército, por não ter conseguido proteger os cristãos que estavam a ser ameaçados, assim como as igrejas que foram atacadas e vandalizadas.

Houve também manifestações junto à embaixada dos EUA, em que foi pedida protecção para a comunidade cristã no Egipto.

Recorde-se que, na sequência dos tumultos registados no fim-de-semana, o governo reuniu o conselho de crise, que envolve os mais altos dirigentes militares do país, tendo sido anunciadas medidas duras para a punição de ataques a locais de culto, assim como vai proceder-se ao julgamento, em tribunal militar, dos suspeitos detidos nos ataques.

Um comentário:

  1. Muito triste estas cenas. Muito triste o mundo sem DEUS. Isso é só uma palhinha doque está por vir. Não queiram ficar neste mundo orrivel. Prepare-se para subir com JESUS. Ele prometeu. Ele vai voltar. Acreditem. Pois o senhor nunca nos mentiu. NUNCA, NUNCA mentiu... Venham Fazer parte desta Nação que vai Morar no CÉU. Queremos te ver lá!!! A todos os visitantes deste site!
    Siga-nos...Você não vai se arrepender...

    ResponderExcluir