segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Cristãos estão sendo mortos na índia

Cristãos estão sendo mortos na Índia




carta da índia-urgente!!!Para o Ricardo e todos os meus irmãos e amigos do Instituto Haggai (Havaí).

Meu amor e saudações a todos os meus queridos amigos em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, protetor de minha vida e família da morte.

Aqui é Raj, seu amigo da Índia, pedindo sua gentil oração pela minha família e pelas igrejas no distrito de Kandhamal(Phulbani), Estado de Orissa.
Para informá-los, houve um terrível ataque às igrejas de nosso distrito. Quase todos os vilarejos cristãos foram destruídos, demolidos e queimados. Isso começou no dia 24 de agosto de 2008 e continua de mal a pior.
Mais de 100 cristãos mortos, entre eles cerca de 30 pastores, foram mortos de forma brutal ou queimados vivos. Ninguém sabe quantos estão desaparecidos. Os corpos dos mortos estão espalhados nas florestas, montes e vilarejos distantes. Não há ninguém lá para enterrar os mortos. Pessoas são mortas na frente de seus familiares, esposas e filhos. Meninas são raptadas por gangues e queimadas vivas. Não tenho palavras para expressar a agonia e a dor das pessoas. Muitos livros poderiam ser escritos sobre a tristeza de seus corações partidos. Quase todas as igrejas foram arruinadas, demolidas e queimadas.
Todos os vilarejos e casas cristãs estão completamente destruídos, suas propriedades foram saqueadas e todos os veículos, queimados. Milhares e milhares de pessoas pobres e inocentes, junto com suas crianças e velhos, correram para salvar suas vidas nas florestas e colinas, e mesmo ali suas vidas não estão seguras. Eles continuam sendo caçados pelos fanáticos hindus.
O toque de recolher vem desde 24 de Agosto de 2008. Sem transportes, sem mercados, parece que todo o distrito está parado e morto.

O último culto que realizei com os crentes de minha igreja foi no domingo do dia 24. No dia 25, recebi notícias de que atacariam a mim e à minha família, e destruiriam minha casa. Para salvar minha vida e a de minha família, deixei minha casa às 5:30 da manhã apenas com a roupa do corpo. Eu, minha esposa e meu filho de 10 anos nos abrigamos e escondemos com um amigo não-cristão.
O terror estava por toda a parte em nossa pequena cidade. Com muita aflição e medo, nos abrigamos naquela casa. Assim que a noite caiu, ouvimos o som de pessoas da oposição correndo de lá para cá, gritando 'matem todos os cristãos.' Seu objetivo era matar todos os líderes e pastores.
Às 12:45 da noite, recebi uma ligação de um irmão. Eles marcharam contra o prédio do meu escritório e, sem perder tempo, arrasaram minha casa com uma bomba. Confiscaram tudo e queimaram o resto das coisas, meu carro e todas as bicicletas. Então avançaram para a casa em que eu estava escondido e arrombaram a porta para pegar e matar nossa família. Graças a Deus, o dono da casa tomou uma atitude corajosa para me proteger, acabou agredido brutalmente.

Na manhã seguinte, com muito medo, eu, minha esposa Purnima e meu filho Comfort corremos para a floresta para nos salvar. Minha esposa é diabética. Eu os levei para a floresta, sem sabermos para onde estávamos indo. Um pastor e sua família nos encontraram naquela floresta. Permanecemos um dia inteiro ali e, ao anoitecer, andamos mais 10km mata adentro para ficarmos a salvo. Por quase cinco dias, o Senhor, com sua mão poderosa, nos protegeu naquela floresta.
As pessoas de um vilarejo cristão próximo ficaram sabendo a nosso respeito e vieram nos ajudar trazendo comida. Ficamos sabendo que a floresta também não era nada segura. Com muito cuidado, chegamos ao acampamento de ajuda. Em cada um, de 5 a 6 mil pessoas. Não havia comida nem água, só doenças por toda a parte, crianças pequenas e muitos idosos já mortos. Foi um milagre dois motoristas não-cristãos de bom coração chegarem de 60km de distância com meu primo e nos salvarem da morte
Em cinco minutos, pela manhã, às 7:45, eles nos atravessaram pelo campo dos opositores que queriam minha vida. Por sua graça e mão poderosa, Ele nos salvou. Graças ao seu santo nome, chegamos a um estado vizinho. Não sei o que fazer, peço sua gentil oração por minha família e também que todos vocês sustentem nosso povo e nossas igrejas em suas orações.
As pessoas perderam sua esperança, não há apoio do governo, o terror está por toda a parte. Minha oração e confiança são que somente Deus, por sua graça, pode controlar a situação de morte e agonia.
Algum de vocês pode enviar meu pedido de oração ao Dr. Dhanaraj e ao Sr. Mandoza em Maui Haggai? Por favor, informem nossa condição a todo o povo de Deus para oração. Se puderem, por favor me escrevam. Obrigado, meus amigos. Essa é a realidade, dizia o irmão Mandoza, antes de deixarmos Maui (Havaí).

Não sei em que condições se acham sua vida e ministério, mas amo muito, oro e tenho saudades de todos vocês. Muito obrigado por seu amor e amizade por mim no Havaí. Que Deus abençoe todos vocês. Seu irmão

Fonte: Folha Cristã



Marcos Vinicius Fideles de Almeida


DEUS abençoe a todos

sábado, 15 de outubro de 2011

Oração com perseverança




Oração com perseverança





introdução




Irmãos é impossível caminharmos a nossa caminhada cristã, sem fazermos uso constante da oração. A oração é o nosso sustentáculo; a oração é quem nos coloca de pé em nossa caminhada. A oração é o nosso pão de cada dia, que vem do céu; ou seja, o nosso maná. A oração é a nossa arma contra os nossos inimigos diários. Na caminhada espiritual é impossível vencer, uma batalha se quer, sem estarmos de joelhos no chão.
Podemos afirmar: o pedreiro usa a colher; o carpinteiro, o martelo e o serrote; o marceneiro, o formão, a plaina e o serrote; o cirurgião, o bisturi, o advogado, as leis. Mas, o cristão deve usar os joelhos no chão, se desejar ser vitorioso em seu ministério. É uma pena que as reuniões menos freqüentadas, são as reuniões de oração. O ibope dessas reuniões está muito abaixo do esperado.

O NOSSO TEMPO DE ORAÇÃO:

• O Apóstolo Paulo, escrevendo a Igreja de Colosso, ordena: “Perseverai na oração, vigiando com ações de graça”. Perseverar na oração, não é orar de vez em quando; não é orar quando eu tiver tempo; quando eu me levantar mais cedo; quando for possível. Não é isso que o Apóstolo está falando. Sua palavra é perseverai na oração. A palavra perseverar quer dizer persistir, conservar firme num propósito, fazer com constância, dar continuidade, levar a sério o que se está fazendo. É isso que o Apóstolo está dizendo: Leve a sério o seu tempo de oração; o seu tempo com Deus. Fazendo assim, estaremos nos tornando mais íntimos de Deus. Orar é conversar com Deus. E, conversar é a forma mais eficaz de um relacionamento. Pelo diálogo, conhecemos e somos conhecidos.
• Vigiando com ações de graça. Vigiar significa estar atento, vigilante, cuidadoso, estar em sentinela, observar atentamente. Mateus registra as palavras de Jesus no capítulo 26:41: “Vigiai e orai para que não entreis em tentação”. Percebemos aqui também, nessa recomendação de Paulo, para que não façamos da nossa oração apenas um momento de petições, ou intercessões. Devemos neste momento de oração, reservar uma parte da nossa oração para rendermos a Deus a nossa gratidão pelo que Ele é e também por tudo o que tem nos feito. A oração de gratidão, de louvor, de adoração, de celebração a Deus, ela não só agrada a Deus, mas também nos faz crescer e reconhecermos quem de fato somos nós e quem é Deus. Quando temos consciência da nossa pequenez em relação à soberania de Deus, podemos louvá-lo com alegria; podemos dar a ele a adoração que ele é merecedor.
• A igreja deve orar pelos seus líderes.
Outra recomendação de Paulo é para que a Igreja de Colosso ore também suplicando a Deus que abençoe o seu Ministério. Vejam que Paulo não pede por ele mesmo, mas que Deus abra as portas para que ele possa pregar a palavra a muitas pessoas. Este não é um pedido egoísta, mas um pedido para que o Senhor abençoe o seu Ministério. Ele não está pensando em si mesmo, mas está pensando nas pessoas que o Senhor haveria de salvar.
É muito comum as pessoas pedirem orações por elas mesmas, ou pelos filhos, marido, esposa, mãe, ou outro parente qualquer. Mas esse pedido de Paulo é para que a Igreja ore pelo seu Ministério. No versículo quatro, Paulo dá outra justificativa para a oração: “Para que eu o manifeste como devo fazer”. Ou seja: Paulo deseja fazer a obra de Cristo, segundo a vontade de Deus e não como eventualmente ele pudesse ter preferência. O seu desejo é ser dirigido pela vontade de Deus. Este é um cuidado que todos nós precisamos ter na realização da obra do Senhor. A vontade precisa ser a de Deus e; jamais a nossa.
• Devemos ser simpáticos com os de fora.
Sabemos que, para propagarmos o Evangelho de Cristo, precisamos ser pessoas simpáticas, que cativam a amizade das pessoas. Precisamos sempre ter em mente que somos instrumentos de Deus e, como tais, precisamos ter um comportamento de quem é portador da graça de Cristo. Há pessoas que mesmo se dizendo conhecedoras da palavra, portam-se como se não tivessem nenhum relacionamento com Deus. Assim, vivem sempre de mau humor; se lamentando da vida; buscando culpados para os seus fracassos. Nesse caso é melhor nem perguntarmos como vão; mas sim, onde dói!
• Palavra temperada.
Creio que podemos pedir ajuda as nossas donas de casa, que estão mais acostumadas com o preparo do alimento para a família. Imagino que um alimento bem temperado é aquele que a pessoa que está preparando tenha sensibilidade de medir bem as dosagens de cada tempero, para que aquele alimento fique apetitoso. O alho, a cebola, o sal, ou outro tempero qualquer. Todos estejam na medida certa. Paulo está falando aqui sobre a palavra temperada. Creio que poderíamos traduzir esse ensinamento do Apóstolo, como sendo palavra ponderada, inteligente, de incentivo, amável, esperançosa. Creio que uma palavra assim é aquela que antes de ser pronunciada deve ser processada em nossa mente, e verificarmos se tais palavras vão repercutir de forma agradável nos ouvidos da outra pessoa, ou se serão objeto de discórdia. Uma palavra lançada pode produzir efeitos positivos para as pessoas. Mas, também pode produzir efeitos

destrutivos e às vezes até irreparáveis.

CONCLUSÃO:

Vimos neste pequeno texto de Paulo algumas coisas interessantes: Vimos que é muito importante estarmos em oração. Não aqueles poucos momentos de oração, do tipo: Senhor, obrigado por este alimento; em nome de Jesus Amém. É claro que estas orações também são importantes e devem ser feitas sempre. Mas não podemos nos limitar a estes momentos de oração específicas. Precisamos criar o hábito de estarmos na presença de Jesus para que possamos estreitar o nosso relacionamento com ele. É bom também para estarmos intercedendo por outras pessoas e principalmente pela liderança da Igreja, como: Pastores, Presbíteros, Diáconos, Professores etc. Tiago diz que a oração do justo pode muito em seus efeitos. Mas, precisamos gastar também o nosso tempo de oração em momentos de gratidão, adoração, louvor, ações de graça.




marcos vinivius fideles de almeida



DEUS abençoe a todos




www.igrejaevangelicavirtual.com

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Namoro - Assunto sério e delicado a ser falado.

Namoro = Assunto sério e delicado a ser falado. Alexsandra Lopes de Almeida



O namoro é um assunto delicado de ser falado e explicado, mas consideremos na bíblia para melhor entendê-lo em momentos ocorridos na vida de muitas pessoas.
    Ter, namorar, noivar, e casar com a pessoa que Deus lhe deu, não é simples e fácil, tanto a jovem quanto o jovem devem estar em oração e confiança em Jesus Cristo, a fim de que Ele lhe entregue na confirmação divina que será seu companheiro(a).
    Muitos, sem a direção de Deus, se casam e passam por momentos horrendos e plangentes de suas vidas, uma vez que, é certo que o cônjuge passará por lutas, mas bem-aventurado é o casal quando passa em tristonhas situações ao lado do companheiro que Deus lhe concedeu.
     Na história de Isaque e Rebeca, por exemplo, o servo de Abraão falou com o Senhor acerca de seu senhor, para que Ele desse a confirmação que Lhe pediu, no caso, das meninas que fossem tirar água do poço, aquela que fizesse do jeito que pediu ao Pai, esta seria por mulher de Isaque. "E disse: Ó Senhor, Deus de meu senhor Abraão, dá-me hoje bom encontro, e faze beneficência ao meu senhor Abraão! Eis que eu estou sem pé junto à fonte de água e as filhas dos homens desta cidade saem para tirar água; Seja, pois que a donzela, a quem eu disser: Abaixa agora seu cântaro para que eu beba; e ela disser: Bebe, e também darei de beber ao teus camelos. esta seja a quem designaste ao teu servo Isaque, e que eu conheça nisso que fizeste de beneficência a meu senhor", Gênesis 24:12-14
    No cumprimento do pedido do servo de Abraão, Rebeca foi levada para Isaque, a fim de dá-la como mulher, "E Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe Sara, e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher, e amou. Assim Isaque foi consolado depois da morte de sua mãe", Gênesis 24:67.
    Veja que nas palavras de um justo há imenso poder, pois Abraão tinha dito acerca de uma moça e, da mesma forma que pediu, o Senhor o concedeu, "Se a mulher, porém não quiser-te, serás livre deste meu juramento; somente não faças lá tornar a meu filho, Gênesis 24:8; "E chamaram a Rebeca, e disseram-lhe: Irás tu com este homem? Ela respondeu: Irei", Gênesis 24:58.
    Verdadeiramente, quando inicia um compromisso, devemos levar em consideração muitas coisas: seriedade, atitude, amizade, companheirismo, lealdade, apoio, mas sobretudo, temente a Deus, pois quando O amamos, amamos também nosso companheiro.
    Há os que não vêem o namoro, noivado e até mesmo o casamento como compromisso sério, o que não é mostrado na Santa Palavra de Deus, porquanto em suas Escrituras, podemos enxergar claramente que os homens eram tementes ao Senhor em pedir, ao confiar e crer que Ele podia lhe dar o que almejava o seu coração.
    Assim, quem é solteiro ore e peça a Deus uma boa companheira tanto nas horas difíceis, agustiosas quanto nos momentos felizes e gáudios. Que seja serva do Deus Altíssimo, temente nas Escrituras, amiga e boa esposa, sobretudo que ame verdadeiramente Deus em 1º lugar com toda a força de sua alma e vida, portanto amando Jesus Cristo em tudo e com tudo, ela lhe amará também. "Se alguém não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu? E dele temos este mandamento: que quem ama a Deus, ame também a seu irmão", I João 4:20-21
    Contudo, o relacionamento é um compromentimento e responsabilidade primeiramente com Deus, então, um temente servo do Senhor, não aceita no compromisso, relacionamento com outro, brincadeiras, enganos, mentiras, fofocas, infantilidades, bagunças, concuspiscências carnais, mas pelo contrário, vai à busca, biblicamente, de tudo aquilo que é agradável aos olhos do Rei, o Todo-poderoso, Amado e Consolador de nossa alma Jesus Cristo.


Filipe Fideles de Almeida.